sexta-feira, 6 de março de 2009

1- PRIMEIRAS PALAVRAS


Seja bem vindo (a)!
Iniciar um blog é um ritual de passagem. Um dia vivi a mesma sensação quando abri minha conta no orkut. Surgiu aquela sensação de dúvida que abrange múltiplos aspectos: será que vou conseguir dar conta do recado? será que o nível de exposição será demasiado? qual será o benefício para mim e para as outras pessoas?
Entretanto, sempre que estive em dúvida, após uma avaliação estratégica, terminei me jogando.
Gosto de estimular pessoas a vencerei seus medos e dúvidas agindo. São muitos os terapeutas e consultores que, como eu, abraçam a idéia: "a ação cura o medo". Se a angústia gerada pelo que ainda não é estiver maltratando o seu momento presente, avalie, pondere, e faça alguma coisa. Aja. É importante que você se jogue. Brinco com um neologismo que uso em palestras, cursos e seminários: seja "sijogoso". Ser sijogoso é ser capaz de ir além dos medos paralisantes e fazer alguma coisa de imediato. Alguns têm nível exagerado de sijogosidade, enquanto outros estão em carência dessa capacidade tão importante. Como você está em relação a isso?
Nessa postagem de abertura de Blog quero convidar você a observar a foto que tirei de um lago em Danbury - Connecticut, no mês de janeiro deste ano (2009). Como pode ver, o lago está congelado. Fiquei na dúvida se deveria ou não andar sobre ele. Ora bolas, sou brasileiro e nunca vi uma imensidão de água assim, durinha. O lugar era mágico; realmente, uma imagem que nunca tive antes diante dos olhos. Então resolvi ser sijogoso e atendi o impulso. Fiz como fez Jesus: andei sobre as águas. Bem, no meu caso as águas estavam em estado sólido... mas isso é apenas um detalhe. :-) O amigo Beto Cabral que filmava a experiência, para colocar a cena no video-clip da minha canção "O Bom da Viagem", pediu que eu tivesse atenção, pois acidentes sérios acontecem em situações como essa. (assista ao video em http://www.youtube.com/watch?v=g20AzwxBnto ) E, de fato, caminhei - cuidadosamente, perto da margem - até o momento em que ouvi um pequeno crack sob meus pés. Esse era o sinal para voltar à terra firme.
A experiência me trouxe, naquele dia 26 de janeiro, o abraço do medo com o impulso de fazer. Na dúvida, me joguei; entretanto conservei a cautela necessária.
Aqui neste blog você conhecerá mais sobre minha vida, meus trabalhos, as diversas coisas que faço, textos poéticos, contos, metáforas, canções, fotografia, arte... enfim, colocarei aqui a minha essência de variadas formas, bem como divulgarei os eventos em que estarei presente.
Será um grande prazer compartilhar as diversas estradas nas quais transito, sobretudo espiritualidade e programação neurolinguística - PNL.
Esteja comigo. Desafie seus medos de forma estratégica na vida pessoal ou no âmbito profissional.
Em minhas aulas ensino que há alguns alicerces importantes da auto-estima, dentre eles o autoconhecimento e a autoconfiança. É bom que estejam lado-a-lado.
Se alguém tem muita autoconfiança, normalmente é muito sijogoso. Mas se não possuir nível bom de auto-confiança poderá arriscar-se demasiadamente e ter problemas, por não conhecer seus pontos fracos nem ter noção do perigo sob seus pés.
Por outro lado, se alguém conhece bastante a si mesmo, tanto o próprio potencial como os aspectos a melhorar, mas tem autoconfiança reduzida, acabará lançando-se pouco na vida e obtendo menos do que merece.
Que seu autoconhecimento seja grande.
Que sua capacidade de arriscar também seja.
E que sua autopercepção lhe garanta segurança, sem fazer você perder o espírito de aventura.
Um kaurinhoso, luminoso e harmonizante abraço!
(Kau Mascarenhas)
mude sua vida, conheça PNL

Um comentário:

yara disse...

[b]Oi Kauzinho, mais uma das suas inúmeras idéias inspiradas a contrusção do BLOG. Assim as pessoas terão a oportunidade feliz de saber um pouco mais sobre vc, do seu trablaho, do Kau como ser humano de uma beleza e simplicidade impar.
Muito bom querido!
Adorei... tbm gosto de ser "sijogosa" e na maioria das vezes acabo acertando.
Sucesso pra vc como em tdo que vc faz!
Bjinho com kaurinho