segunda-feira, 4 de outubro de 2010

33- DAQUI A QUATRO ANOS


E como dizia nosso caro Bezerra de Menezes: "Os maus assumem quando os bons se omitem".


Creio que a política brasileira assusta pessoas do Bem por causa da crença generalizada de que é um contexto onde somente vão aqueles que são corruptos. Acredito que vale quebrar esse paradigma e levar ao Legislativo e, sobretudo, ao Executivo, pessoas que se notabilizem pelos valores nobres que abraçam, pela ética e por representarem os interesses reais da população.


Ainda não foi dessa vez... Marina não está no segundo turno. Mas caminhamos para o despertar da maioria e daqui a 4 anos haverá chance maior de ver Brasília como um lugar livre de mensalões, falcatruas, e tantas vergonhas com as quais temos que conviver sendo brasileiros. Um lugar onde não haja tanto escândalo, e cujo aparecimento gere indignação ao invés de indiferença e impunidade.


Um dia esse país terá Tiriricas apenas na TV, corrupção apenas nas infelizes lembranças, e as cuecas servirão apenas para abrigar nossas partes íntimas e não para carregar o dinheiro sujo das maracutaias. Amém!

6 comentários:

Edson Copque disse...

Pois é! Acreditei até o final das apurações que colocaríamos nossa esperança lá, mas não foi desta vez. Mas nossa esperança continuará firme como sempre! Até daqui a 4 anos!

Nanda Paiva disse...

Concordo. Mesmo não acreditando na sua vitória, lhe dei o meu voto com a intenção de fotalecê-la politicamente. Marina representa a sociedade que ainda acredita na ética e na moralidade.
Ela é a esperança!

kau mascarenhas disse...

Pois é, amigos. Quem pode viver sem esperança? abraços!

a INCRÍVEL falível disse...

A gente precisa acreditar que está melhorando, ela foi muito bem para a primeira vez. Precisamos lembrar do quanto Lula lutou e hoje ele está aí, conseguindo eleger até um poste inexpressivo como Dilma. Em 2014 estaremos lá com ela e a qualidade dos candidatos tem que ser melhor! É isso aí, pensamento positivo e esperança!!!

kau mascarenhas disse...

Enquanto há vida há esperança? não, não... Enquanto há esperança é que há vida! E vamo em frente!

Giulia Maria disse...

Concordo com você e quando me perguntam pq votei nela respondo:como aprendi com um amigo meu, voto nas pessoas e não nos políticos, na realidade já fazia isto, só não tinha esta consciência.